Artigos

Como Blockchain e IoT agregam valor ao gerenciamento do Supply Chain

A tecnologia blockchain, aliada a IoT é uma grande promessa para melhorar a eficiência e confiabilidade do Supply Chain em todas as indústrias

 

Este artigo foi escrito em parceria com *Fabricia Simoes Fedoci. 

 

A cadeia de suprimentos representa todos os elos envolvidos na criação e distribuição de mercadorias, desde as matérias-primas até o produto acabado que fica na posse do consumidor.

Atualmente, as cadeias de suprimentos (supply chain,em inglês) abrangem centenas de estágios e dezenas de localizações geográficas, o que dificulta e muito o rastreamento de eventos ou a investigação de incidentes. Clientes e compradores não conseguem, de modo confiável, verificar e validar a real procedência dos produtos e serviços adquiridos, de modo que o preço pago por tais produtos e serviços não refletem o real custo de produção. Ainda, a falta de transparência na cadeia de suprimentos torna extremamente difícil a investigação e a responsabilização de eventuais atividades ilícitas ocorridas ao longo da cadeia, o que explica os inúmeros casos de falsificação, trabalho forçado e os diversos escândalos nas cadeias de suprimentos que mancham a reputação e custam milhões às empresas envolvidas.

Em breves palavras, a complexidade e não integração das cadeias de suprimentos têm dificultado sobremaneira a ampla e eficiente rastreabilidade de ponta a ponta, bem como a fiscalização ao longo da cadeia.

Sendo assim, este artigo busca demonstrar qual valor a tecnologia blockchain e IoT podem trazer, e como podem auxiliar nos desafios de rastreabilidade e procedência da cadeia de suprimentos.

 

Desafios atuais e riscos da cadeia de suprimentos

Empresas têm dificuldades de gerenciar mudanças repentinas de demanda e, nas operações de seus fornecedores, enfrentam embaraços para dominar fluxos de aquisição e informação. Isto porque, conquanto usem a terceirização para alavancagem de negócios, falham na busca da transparência ao longo de sua cadeia de suprimentos.

São inúmeros os exemplos de fraudes nas industrias de alimentos, farmacêutica ou de automóveis que resultam, por sua vez, em altos prejuízos financeiros decorrentes de recalls e queda nas vendas.

Neste passo, recente pesquisa de Risco Global da Cadeia de Suprimentos da Deloitte[1] identificou os seguintes impactos, riscos e desafios:

  • Erosão de margem e mudanças súbitas de demanda– ambientes instáveis exigem reações rápidas às mudanças súbitas de demanda, pois com a globalização, a competição mais acirrada pressionou as margens.
  • Efeitos da alterabilidade em razão da cadeia de valor estendida– as extensas cadeias de suprimentos existentes hoje, compostas por inúmeras camadas de partes interessadas (como fornecedores, distribuidores e clientes) elevam significativamente os riscos de instabilidade na cadeia de suprimentos.
  • Gerenciamento ineficiente de riscos do supply chain— criação de programas de gerenciamento de riscos na cadeia de suprimentos é essencial ao monitoramento, previsibilidade assertiva dos riscos e resposta adequada.
  • Falta de visibilidade de ponta a ponta— a ausência de visibilidade transparente da cadeia de suprimentos, tanto interna quanto externa, expõe empresas a diferentes tipos de riscos como fraudes, violação de códigos de conduta, dentre outros.
  • Obsolescência de tecnologiaferramentas avançadas de gerenciamento da cadeia de suprimentos são um grande desafio para a maioria das empresas por demandarem altos investimentos, de modo contínuo, o que também se aplica aos inerentes riscos de implementação.

 

A importância da confiabilidade e os parâmetros para uma cadeia de suprimentos ideal

Como fluxos de informação numa cadeia de suprimentos dependem de que dados sejam efetivamente coletados e disponibilizados pelas redes de informação das diversas partes interessadas, resta evidente que todo o sistema depende da confiabilidade.

A confiabilidade, por sua vez, pode ser identificada nos quatro elementos explicados abaixo:

  • confiança (partes interessadas devem confiar uma nas outras quanto a sua vontade de comunicar informações verdadeiras).
  • eficácia do menor denominador comum(a eficácia é limitada pelo elo mais fraco na cadeia de suprimentos),
  • reconciliação(como não há continuidade no fornecimento de informações, cada participante precisa reconciliar os dados para garantir precisão e eficácia, o que prejudica a eficiência),
  • manifestação limitada do fluxo de informações(a capacidade dos dados coletados de representarem de forma efetiva e precisa objetos ou eventos da vida real é limitada pelos sistemas colocados nas cadeias de suprimento para monitorá-los e rastrear o suprimento).

Considerando, pois, os impactos, riscos e desafios na cadeia de suprimentos, além da importância da confiabilidade, é possível identificar quais exigências devem ser cumpridas para uma cadeia de suprimentos ideal.

 

Parâmetros para uma cadeia de suprimentos ideal:

  • visibilidade de ponta a ponta (transparência)
  • flexibilidade
  • confiança (veracidade)
  • controle.

Como a tecnologia blockchain, integrada a IoT, podem auxiliar?

 

Recursos blockchain e IoT podem aumentar a rastreabilidade e a confiabilidade das informações no supply chain

Como o objetivo deste artigo é fazer uma breve análise de como tais tecnologias podem agregar valor à cadeia de suprimentos, vamos nos ater a algumas funções e qualidades, sem adentrarmos em questões como a diferença entre Blockchains e Ledgers distribuídos que, devido à amplitude, merecem artigo próprio. Assim, para a compreensão deste texto, pode-se definir a tecnologia Blockchain como uma arquitetura distribuída, de código aberto, que possibilita o registro digital e permanente de transações em uma rede P2P (peer-to-peer, ponto a ponto).

No tocante às qualidades da tecnologia blockchain, responsáveis pelo aumento do potencial de inovação em todas as grandes indústrias, podem ser resumidas em: baixo custo, transparência, auditabilidade e confiabilidade (resiliência). Na cadeia de suprimentos, tais características ajudam a reduzir os intermediários (agentes validadores de confiança), o que resulta em aumento de eficiência e redução de custos.

A Internet das Coisas (IoT), por sua vez, vincula o mundo físico ao mundo digital, permitindo que decisões sejam tomadas com segurança, e comportamentos sejam eficazmente adaptados. Mediante coleta de dados do mundo real, comunicação, compilação desses dados em informações e, por fim, apresentação de resultados assertivos, o IoT atua complementarmente à tecnologia blockchain, possibilitando que sistemas e usuários agreguem dados, analisem tendências e realizem monitoramento preventivo. Ainda, valer destacar que IoT não abrange apenas os dispositivos (coisas, sensores), mas sim todo um sistema (arquitetura, infraestrutura) que deve ser efetivamente implementado (sensores e coisas, redes, camada de integração, etc.)[2].

Soluções em Blockchain e IoT podem, portanto, fornecer continuidade no compartilhamento de informações, auxiliando empresas a reduzir riscos operacionais, assegurando fluxos globais contínuos, confiáveis e invulneráveis. Isto é, agregam valor à cadeia de suprimentos, eis que ampliam a capacidade de controle e verificação dos fluxos provenientes de fornecedores, possibilitam sistema de rastreamento confiável e compartilhado, sistema este distribuído e certificado com benefícios significativos ao consumidor (que poderá, por exemplo, certificar-se de que seus bens são transportados nas condições e no tempo certos, verificar a origem das mercadorias e rastrear todo o processo de fabricação no blockchain, verificar e provar a autenticidade e procedência das mercadorias através dos dispositivos de IoT etc.).

 

Casos de uso de Blockchain e IoT para gerenciamento da cadeia de suprimentos

Já são inúmeros casos de uso possíveis de aplicação de blockchain e IoT no gerenciamento da cadeia de suprimentos. Neste tópico, trazemos alguns deles, vistos através das lentes de diferentes indústrias.

Na cadeia de fornecimento de alimentos agrícolas, a produção é fragmentada (devido ao seu plantio se dar principalmente em áreas remotas e em desenvolvimento), com preços voláteis, sob constante ameaça das variações climáticas. Tanto a tecnologia blockchain como a internet das coisas podem não resolver todos esses problemas, mas podem contribuir com transparência e aumento de eficiência na cadeia de fornecimento de café. É neste contexto que surgiu a Bext360, plataforma de software (SaaS) com foco em cadeias críticas de suprimentos, como café, cacau, frutos do mar, óleo de palma, minerais (coltan, cobalto), madeira e algodão, que após da coleta de dados em todas as etapas da cadeia de suprimentos, os coloca em blockchain, criando um registro imutável, para melhor rastrear toda a cadeia, do produtor ao consumidor, e assim, aumentar a produtividade e eficiência da cadeia de suprimentos.

Na mesma linha, há o Pacific Tuna, um projeto de rastreabilidade da cadeia de suprimentos da indústria atuneira das ilhas do Pacífico que busca erradicar a pesca ilegal e os abusos dos direitos humanos. Através da tecnologia Blockchain, em breve uma simples digitalização das embalagens de atum usando um aplicativo de smartphone contará a história de um atum – onde e quando o peixe foi capturado, por qual embarcação e método de pesca. Os consumidores terão certeza de que estão comprando atum legalmente capturado e sustentável, sem trabalho escravo ou condições de opressão envolvidas.

Na indústria farmacêutica, por sua vez, questões relacionadas à segurança de medicamentos na cadeia de suprimentos são um tema de extrema relevância. Isto porque, a rastreabilidade de ingredientes farmacêuticos “ativos” durante a fabricação é um processo difícil, na medida em que a falha na identificação de medicamentos que não contêm os ingredientes ativos pode, em última instância, causar danos ao paciente ou até mesmo a morte do paciente final. Daí a importância do desenvolvimento de aplicações em Blockchain, capazes de fornecer uma base para a rastreabilidade completa de medicamentos, desde o fabricante até o consumidor final, e a capacidade de identificar exatamente onde a cadeia de suprimentos se rompe durante um problema.

Nesse quadro é que surge o blockverify, solução que propõe o uso da rastreabilidade e transparência do blockchain para detectar e combater com eficácia a fraude na indústria farmacêutica mediante recursos de IoT, “desincentivando” amplamente a distribuição de medicamentos falsificados.

Por fim, há o Riddle & Coce que desenvolve segurança para recursos de IoT usando tecnologias de contabilidade distribuída para manter dados e comunicações confidenciais.

 

Considerações finais

A tecnologia blockchain, aliada a IoT (Internet of Things, em inglês), se mostra uma grande promessa para melhorar drasticamente a eficiência e confiabilidade do Supply Chain em todas as indústrias. Segundo a International Data Corporation (IDC)[3], gastos com soluções blockchain no mundo devem alcançar 2,2 bilhões de dólares em 2018, mais do que o dobro do gasto em 2017, que foi de 945 milhões de dólares. Em 2021, espera-se que os gastos anuais alcancem 9,7 bilhões (de acordo com o Guia Mundial Semestral de Gastos com Blockchain 2017H1).

O potencial de aplicação dessas tecnologias no supply chain é significativo. Sair do conceito e dos testes-piloto à efetiva implementação de soluções viáveis, em contrapartida, ainda exigirá que a tecnologia blockchain seja desenvolvida com mais profundidade, além de existir a necessidade de uma transformação organizacional, bem como desejo de colaboração entre todos os envolvidos.

Por ora, as tecnologias IoT e blockchain estão em evolução e precisam amadurecer para a garantir a rastreabilidade efetiva ao longo da cadeia de suprimentos e reduzir riscos com aumento de eficiência.

Essa evolução, contudo, não se dará sem o esforço conjunto de todos os diversos atores da cadeia de suprimentos, e um ambiente regulatório favorável à implementação de tais tecnologias.

 

Notas

[1] Deloitte, Deloitte Consulting’s 2013 Global Supply Chain Risk Survey (2013)

[2] World Economic Forum, The Internet of Things’ potential to recast supply chain management, 2017

[3] International Data Corporation,Global Blockchain Market: Size, Trends & Forecasts (2018–2022), 2018.

 

*Fabricia Simoes Fedoci é consultora de Operações Logísticas de Distribuição e Especialista em Blockchain.

Tatiana Revoredo

Blockchain Strategist pela University of Oxford, e pelo MIT - Massachusetts Institute of Technology. Liason do European Law Observatory on New Technologies. Atualmente cursa Cybersecurity em Harvard. Convidada pelo Parlamento Europeu para Conferência Intercontinental sobre aplicações Blockchain e regulação de criptomoedas e ICOs. Participou do 1st Annual Crypto Finance Conference, do Fórum Econômico Mundial e Forum Mundial da Internet.

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:
Projeto mantido por:
Media Partners: