Notícias

Apple proíbe mineração de bitcoin e criptomoedas no iPhone e no iPad

A Apple está convicta de que as operações de mineração de criptomoedas podem superaquecer ou destruir facilmente as baterias dos aparelhos

 

*Por Portal do Bitcoin

 

Apple fez uma atualização nas diretrizes de uso dos aplicativos iOS e Mac da sua loja de aplicativos. Uma das mudanças proíbe a utilização de dispositivos para a mineração de criptomoedas em iPhones e iPads

De acordo com a publicação no site oficial da empresa no início do mês, outras funções, como gerenciar e comercializar criptoativos ainda serão permitidas, e as carteiras devem ter boas procedências.

Queremos ajudá-lo a entender nossas diretrizes para que você tenha certeza de que seu aplicativo passará pelo processo de revisão rapidamente e também para proporcionar uma experiência segura para todos os usuários”, diz os primeiros parágrafos do comunicado.

A empresa advertiu que para conservar o aparelho, como o iPhone, por exemplo, e mantê-lo com bateria e poder de computação perfeitos, eles não permitirão aplicativos de mineração, bem como aqueles que contenham anúncios sobre criptomoedas, a fim de evitar ataques de malwares, o que eles consideram uma ameaça crescente.

Os aplicativos não podem ser usados para mineração de criptomoedas, salvo se o processamento for executado fora do dispositivo”.

A empresa tem ciência que existe a mineração de criptomoedas ‘cloud mining’ (em nuvem), que é aquela que permite que um usuário minere bitcoins a partir de um centro de dados com poder de processamento compartilhado, ou seja, o aparelho de quem contrata não é usado para o fim.

Apple e ICOs

Sobre as Ofertas Iniciais de Moedas (ICOs), a Apple manteve a política de diretrizes publicada em dezembro do ano passado, a qual determina que a empresa aceitará apenas projetos criados por bancos e instituições financeiras tradicionais e regulares.

Sobre as carteiras de criptomoedas, a companhia diz que já permite aplicativos oriundos de desenvolvedores regulamentados, como, por exemplo, a carteira da Coinbase, que é uma corretora que também fornece o aplicativo.

A empresa ainda alertou sobre os riscos que os dispositivos correm ao aceitar realizar tarefas em troca de criptomoedas, pois, segundo o comunicado, esses aplicativos incentivam os usuários a fazer downloads e postar em redes sociais.

A Apple está convicta de que as operações de mineração podem superaquecer ou destruir facilmente as baterias, podendo até o aparelho pegar fogo por conta de algum vazamento.

Na Play Store do Google, os aplicativos de mineração ainda são permitidos, porém alguma mudança pode acontecer, visto que o grupo proibiu recentemente anúncios relacionados às criptomoedas tanto no buscador como na rede social Facebook, numa ação para inibir a promoção de fraudes nas ICOs.

*Matéria escrita por Wagner Riggs e publicada originalmente no Portal do Bitcoin.

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:
Projeto mantido por:
Media Partners: